Thursday, August 03, 2006

 

Novos tempos n'O Partido


Caros Camaradas:

os ciclos são espirais tridimensionais e não círculos. A evolução escreve-se por caminhos tortuosos e oblíquos, mas de inegavel extâse. A busca do zénite do Sábado de cada dia não se faz só com idas à missa de Domingo.

"Em tempos de crise gostamos da Denise e o preço do petroleo sobe em flecha" - já dizia um velho ditongo chinês dos tempos imemoriais em que o Panda Mao Mao caçava bambu com os snipers da Manchúria. O seu significado é simples e conciso: é nos tempos dificeis que o intimo dum camarada se revela.

Valentes Cruzados da Burocracia, serviram estas palavras para vos introduzir ao importante anúncio que a Comissão de Reeducação Ideológica e Propaganda representada pela minha pessoa vos tem a fazer, agora que uma nova fase no desenvolvimento d'O Partido se encontra prestes a iniciar.

Qualquer camarada que preze o seu epiteto com certeza estranhou a total inactividade por parte da Comissão e o relativo distanciamento do nosso bem amado Secretrário Geral Pequenito Balariu no passado recente. Pois é chegado agora o momento de ser anunciado o que motivou tal comportamento por parte destes orgãos directivos.

Quando finalizadas as eleições para o Politburo, sentia-se que O Partido já era um partido mas ainda lhe faltava um quelque-chose. Faltava-lhe aquele espírito de quem faz esperas à porta da escola se alguem se meter com os do nosso bairro, faltava-nos ser uma equipa de Maniches com um remate-banana sempre pronto na ponta do pé, uma artilharia pesada de armas de argumentação maciça! Faltava experiência por parte dos camaradas em lidar com os rocambolescos burocráticos do dia-a-dia de forma pronta, autonoma e segura. O nosso magnanimo Secretário Geral pressentiu então que finalizar o PREBUROCU nestas condições poderia ser contra-producente, arriscando que os meios de comunicação do OP se tornassem num inócuo e inútil livro de reclamações. Pequenito Balariu reflectiu e concluiu "Tem de haver brasa para todas as sardinhas!", decidindo então convocar a minha pessoa para uma reunião dum ultra-secretismo ao mais alto nível, da qual nem os restantes Secretários ou membros do Politburo tiveram algumas vez conhecimento, estando portanto também eles a ter conhecimento destes factos em primeira-mão neste momento. A questão que se colocava era: como implementar a maturidade burocrática nos camaradas e ao mesmo tempo incutir a atitude de quem tem ganas de invadir a Polónia em prol da Burocracia, num processo de separação de trigo do joio de forma a modelar a popa de vento em que o Partido deveria embarcar finalizado o PREBUROCU, tudo duma só assentada? A primeira hipotese que se colocou foi a de contratar Hercules Plafond, mas dada a jovialidade da nossa instituição, ainda não temos em nossa posse um livro de cheques-careca, pelo que essa opção teve de ser forçosamente declinada. Desta forma, a solução apresentava-se como única: O Partido teria que viver uma crise! Não uma revolta adolescentede dum bando de rufias malcheirosos a beber B.A.T.I.D.O.'s ao pôr do sol, mas uma verdadeira crise. E todo o camarada sabe que não existe crise política mais latejante que aquela provocada pela AUSENCIA DE PODER!

Ficam os camaradas a saber então que a dificil situação que o OP viveu nos últimos tempos foi provocada de forma totalmente deliberada pelo o mais alto orgão directivo da nossa instituição, o indomável Secretario Geral Pequenito Balariu, com o aval do Presidente da Comissão de Reeducação Ideológica e Propaganda. Mas peço a todos os camaradas que compreendam a genialidade de tal medida. Graças a ela pudemos confirmar quem está do lado da Burocracia, do OP e do nosso Secretário Geral e quem procura apenas impingir e auto-promover o seu ego à custa dos camaradas, para além de que o Partido está mais forte que nunca, o que se constata facilmente pelo comportamento recente dos nossos camaradas:o Camarada Atum afirma-se cada vez mais como o verdadeiro Panzer do Secretariado, a Camarada Claude o dardo mais certeiro do dialecto burocrático, a camarada Pala Pala a sensatez do fiordes,o Camarada Ás-sopro revela uma elegância sublime na condução do processo disciplinar duma primazia nunca dantes vista e a cereja no topo do bolo, o camarada Epitaph adoptou finalmente a nomenclatura e revela uma atitude acirrada que por si só justifica a sua integração compulsiva na CRIP. Os ditongos chineses não falham e o PREBUROCU pôde ser finalmente concluido!!!

O Partido surge agora das cinzas da regeneração, qual fénix renascida, com uma força indomável. A estrutura encontra-se concluída e todas as condições estão criadas para que o OP cresça daqui em diante de forma exponencial. E não pensem os camaradas que a Comissão esteve a dormir durante todo este tempo. O hino do Partido já se encontra em fase de composição musical. Os camaradas Protocristo e Epitaph ficam desde já responsáveis pela elaboração da letra, como primeira tarefa após a integração na CRIP. Os contos infantis "Paputos", literatura de natureza moralista que se adequa à ultrapassagem duma fase dificil como a que O Partido viveu, vão ser publicados semanalmente no site do ABC da Burocracia e outras surpresas e documentos importantes estão a ser preparados.
Para além disto, a CRIP não esqueceu a sua função disciplinadora e foi por esse motivo que, dado o indesculpável comportamento de Enola Gay, que durante meses zombou de todos os camaradas e fez do OP um banzé, drásticas medidas tiveram que ser tomadas. É com rejubilo que informo os camaradas que o bombardeiro Enola Gay foi adquirido pelo Partido e reconvertido num avião de regadio de campos de cebola e o seu nome alterado para "Cebola Day", assim como os direitos de autor do grande sucesso dos 80's dos OMD, para que se efectue uma versao da música, com alteração do titulo para "Balariu", com letra a enaltecer o nosso gigante Secretário Geral. Asseguramo-nos que desta forma o nome Enola Gay nunca mais volte a ser pronunciado.

VIVA O PARTIDO!
VIVA A CCCP-B!
VIVA O NOSSO SECRETARIO GERAL!
OP!OP!OP!OP!

Comments:
vão expulsar o camarada enolagay?! mas como é que isso se vai traduzir nas urnas?! vai ser a morte do partido!!!
 
Caro camarada Busilis rejubilo em saber que esta na mesma linha de pensamento que eu. Posso entao partilhar consigo que ja me tinha lembrado da criacao de um hino e surpreende-lo pois ate ja tenho uma letra rabiscada nos cantos da minha casca de noz cerebral.

Nada chama a uniao como um hino cantado a todas as vozes!
 
quantos mais apregoarem a morte d' O Partido, maior sera a forca da nossa representacao!

Avante!
 
Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?