Monday, September 18, 2006

 

Mais inimigos do OP - Justus Möser AKA Leon, o moralista que reincarnou

Camaradas,

Nos últimos tempos um conjunto de ataques do arco da velha do triunfo têm atacado o nosso querido partido sem que os nossos melhores profilers conseguissem obter respostas para o que se estava a passar e para os efeitos que tais coisas poderiam vir a ter. Desta forma os orgãos dirigentes de O Partido decidiram recorrer ao último tipo de peritos que nos podiam dar uma resposta acerca destes eventos. Assim foi decido juntar numa velha mansão dita assombrada para os arredores de Sintra um conjunto dos melhores especialistas em Alquimia, Cartomancia e Tarot, Astrologia, Exorcistas reconhecidos pelo Vaticano (não se encontram em nenhuma lista telefónica), entre outros, para tentar obter resposta acerca dos fenómenos paranormais que nos têm assolado.

Após um fim de semana de experiências apenas descritiveis para os presentes e de o Secretariado ter gasto um quarto do seu orçamento em acepipes e outros luxos para os seus dignos mas caros convidados, uma resposta foi obtida através de um consenso alargado entre todos especialistas. Justus Möser, um moralista do século XVIII, tinha encarnado em Leon para produzir uma personagem que nem a ciência nem a magia poderiam compreender as suas ramificações e motivações.

Para aqueles que não conhecem o individuo em questão e de forma a resumir o que estes peritos nos conseguiram dizer repito aqui um pequeno texto que já tinha deixado em comentário.

Para se conhecer melhor Justus Moser proponho uma passagem do livro de David Landes - A Riqueza e A Pobreza das Nações - acerca dos seus pontos de vista em relação aos vendedores ambulantes (geralmente estrangeiros e judeus) de quincalharias provinientes da prospera manufactura britânica.

"O moralista alemão Justus Moser, ao escrever, em finais do século XVIII, sobre a região de Osnabruck, na Westfefália setentriontal, denunciou o atrevimento e desfaçatez desses ambulantes. Chegavam à porta de uma casa quando o marido estava fora (ai da autoridade patriarcal!) e tentavam a mulher com lenços para a cabeça, pentes, espelhos, os instrumentos da vaidade e do supérfluo. Uma história de Branca de Neve: a perversa madrasta é agora um mascate espertalhão (tal como ela passa a ser na história), e a princesa é uma mulher adulta, mas tão susceptivel como uma criança."

Desconfio que Justus Möser ao ter escolhido Leon como contentor fisico produziu uma quantidade tal de mixed-feelings com as ideias de Leon que eu Pequenito Balariu me tornei no mascate espertalhão, ele Leon(Justus Möser) o tal marido ausente e os Camaradas Atum, Busilis e Independente nas mulheres adultas mas susceptiveis. Desconfio que durante uns tempos Justus Möser renascido e os seus lacaios irão tentar moralizar os respectivos camaradas na sua busca incessante de uma pureza transcendental.

Mais um caso clássico de como os fluxos encarnatórios por não serem regulados por nenhum tipo de burocracia por vezes produzem identidades disparatadas e motivações do arco da velha. Proponho assim que Leon seja a partir de agora chamado de Justus Möser e que os seus lacaios sejam denominados de seguidores de Justus.

Munidos de toda esta nova informação eu e o Camarada Protocristo decidimos carregar os nossos modelos socio-económicos de avaliação de forma obter alguns outputs que pudessemos analisar. Estavamos no bom caminho ja tinhamos material com que trabalhar. Assim os modelos acabaram por produzir os resultados seguintes cuja análise passo a descrever.

Condições Macro:

1. Justus Mosër precisava de um embalagem correcta para encarnar, no entanto o evangelismo não tem prosperado na Europa mas sim nos EUA. Essa nação vil sempre se baseou na manufactura e na industria e isso era inaceitavel para Justus. De certa forma Justus teria que escolher alguem com retórica moralista e que vivesse num pais onde as ideias da fidalgaria que não quer fazer nenhum ainda prosperassem. A escolha do campo politico tornou-se secundária perante estas razões mais relevantes.

2. A recente guerra entre a Associação Nacional de Farmácias e o Governo, em relação aos genéricos, pode ter tido repercussões, segundo certos boatos que correm acerca de uma manipulação quimica dos produtos anti-depressivos e anti-psicóticos. Esta manipulação poderia ter como motivação provocar alguns ataques de nervos entre a população em geral. Os efeitos para O Partido foram no entanto mais nefastos.

3. O défice crónico no SNS provocou movimentações de controlo de stocks nas farmácias hospitalares afectando doentes e outros que regularmente atacavam estes armários. Não só o excesso de produtos dopantes provocam efeitos alucinatórios como também a abstinência destes. Depois no final existe sempre alguém que leva com a fava e outros com o brinde.

Condições Micro:

1. Leon sempre foi um D. Quixote a atacar inimigos imaginários pelas paisagens ibéricas. Isto provocou um mixed-feeling tal com Justus Möser que não só a retórica já descrita se tornou ainda mais inflamada como também a procura de tais moinhos se tornou mais absurda e inexplicável, dai a dificuldade de os serviços de O Partido conseguirem obter profiles que fossem razoaveis para previsão.

2. Dava jeito a Justus arranjar um recipiente que já tivesse uma tropa formada mas a tropa de Leon não primava pela inteligência. Alguns resultados indicam que o ataque ao Partido pode ter originado na imcompreensão de alguns lacaios de Justus (AKA Leon) da importância dos partidos pretendidos para o ataque, julgando esses lacaios que pelo facto de o nosso partido não ter nas suas siglas nem a letra S nem a letra D, ou ambas em conjunto, era sinal de uma maior importância. Depois de iniciados os primeiros ataques não se podia voltar atrás pois Justus Möser AKA Leon tem sempre razão e agora que encarnou em Leon esta caracteristica encontra-se a multiplicar por dois ou elevada ao quadrado consoante o modelo que se pretenda estimar. Assim qualquer retirada poderia implicar efeitos nefastos para esta personagem, inclusivamente implosão do amendoim que lhe vai fazendo tilt pelo crâneo.

3. No seguimento do ponto anterior é preciso entender quem é a tropa que já seguia Leon e agora se encontra fascinada por Justus Möser. Um dos individuos segundo informação obtida pelos serviços secretos de O Partido acabou de oferecer o seu crâneo para pesquisa ao novo centro acelarador de particulas europeu. Qual a razão perguntam os Camaradas? Na sequência da abertura deste mega-projecto não só as questões fisicas mais prementes na literatura serão avaliadas mas também outras de cariz biológica. Quais? Enquanto que com Justus Möser AKA Leon o seu amendoim é rapidamente auscultado por um simples estetoscópio á medida que vai fazendo tilt sem dar jackpot, e é confirmado como principal agente responsável pela verborreia sem sentido que vai aparecendo pelos mais variados púlpitos. Neste seu lacaio existe a dúvida se a não presença de interacções fisicas, quimicas e eléctro-magnéticas pode significar realmente a inexistência do que o que é que quer que seja naquele crâneo. A única forma de confirmar tal aberração será colocar o mais intacto possivel esta montanha de ossos no acelerador de forma a confirmar a existência ou não de particulas sub-atómicas.

Nunca mais Camaradas maus alinhamentos planetários nos irão afectar. A partir deste momento o Secretariado tem o conhecimento suficiente para lidar com o paranormal e não deixará que qualquer fantasma descontente com o seu destino nos importune.

Viva o OP!!!!!!! Viva a Burocracia!!!!!!!!!!!! Viva a Camaradagem!!!!!!!!!!!!!

Comments:
O secretário geral bem podia ser a peça que falta no The Burocrat...Este texto está magnífico, e apesar de, ao ler os textos de leon, ter pensado muitas vezes onde é que eu já li isto, nunca associei a Justus.
 
Camaradas!,

Só pretendo esclarecer que o M.A.S.E. (Modelo Analítico Sócio-Economico) acabou por nao aguentar toda a análise requerida pelo nosso Excelso Secretário Geral e, a meio da penúltima computacao relativa ao universo farmaceutico, refugiou-se uma vez mais na criacao interina de fluxogramas burocráticos.

O M.A.S.E. acaba, pois, por ser um "Asafa Powell", comparado com o modelo fundista do nosso Magnanime Secretário Geral... - quicá uma Paula Radcliffe, pela sua contundencia.

O M.A.S.E. é um precoce...
 
Camarada Protocrisro,

No fundo todas as nossas burocracias e modelos ainda são na sua totalidade precoces. Talvez uns mais precoces que outros mas isto não quer dizer que as posições relativas se mantenham infinitamente. Precisamos de ser determinados e fazer prosperar todas estas pequenas coisas de forma a que esta maior, o nosso querido partido, propere ainda mais.

Camarada Pala Pala,

Obrigado pelo elogio mas julgo que o que era ideal, era arranjarmos um camarada que não estivesse como eu preso à máquina politico-burocrática.
 
This comment has been removed by a blog administrator.
 
This comment has been removed by a blog administrator.
 
Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?